FURG

A Universidade Federal do Rio Grande é uma instituição de tradição e história no sul do Brasil. Abaixo segue sua estrutura administrativa e acadêmica, e um pouco de sua trajetória. Para mais informações acessem www.furg.br

Pró-reitorias:

Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proexc)
Pró-Reitoria de Graduação (Prograd)
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp)
Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae)
Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (Progep)
Pró-Reitoria de Infraestrutura (Proinfra)
Pró-Reitoria de Planejamento e Administração (Proplad)

Unidades educacionais:

Escola de Enfermagem – EEnf
Escola de Engenharia – EE
Escola de Química e Alimentos – EQA
Centro de Ciências Computacionais – C³
Faculdade de Medicina – FaMed
Faculdade de Direito – FaDir
Instituto de Ciências Humanas e da Informação – ICHI
Instituto de Oceanografia – IO
Instituto de Educação – IE
Instituto de Letras e Artes – ILA
Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis – ICEAC
Instituto de Ciências Biológicas – ICB
Instituto de Matemática, Estatística e Física – IMEF
Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente – CAIC

A trajetória da FURG

– O sonho dos pioneiros e a criação da Universidade

A realidade do município do Rio Grande, na segunda metade do século XX, revelava a carência total de escolas de nível superior. Isso propiciava a evasão de significativo número de estudantes, os quais se dirigiam a outros centros em busca de continuidade para seus estudos. Essa força jovem, concluídos os cursos, raramente retornava à sua cidade de origem a fim de participar do seu processo histórico, cultural e socioeconômico.
A consciência dessa realidade, aliada ao propósito de modificá-la, resultou em um movimento cultural, cuja finalidade precípua era a criação de uma Escola de Engenharia em Rio Grande, justificada pelo elevado número de profissionais na área e pelo parque industrial que aqui já existia.
Como a referida escola deveria ter uma entidade mantenedora, aos moldes exigidos pelo Ministério da Educação e Cultura, ou seja, através de uma Fundação de Ensino Superior, no dia 8 de julho de 1953, foi instituída a Fundação Cidade do Rio Grande.

– Uma escola sem espaço físico

A falta de espaço físico adequado levou a Escola de Engenharia a funcionar, inicialmente, na Biblioteca Rio-Grandense, com aulas práticas ministradas diretamente nas indústrias, servindo as mesmas como laboratórios experimentais. Devido ao fato de os professores do curso estarem envolvidos em atividades profissionais nas indústrias e entidades públicas da cidade, tornou-se possível fazer funcionar uma escola sem espaço físico e com corpo docente que trabalhava gratuitamente.
A 24 de maio de 1955, pelo Decreto nº 37.378, foi autorizado o funcionamento da Escola de Engenharia Industrial, reconhecida pelo Decreto nº 46.459, de 18 de julho de 1959, e federalizada pela Lei nº 3.893, de 2 de maio de 1961, como estabelecimento isolado.
A Fundação Cidade do Rio Grande adquiriu o terreno e urgenciou a construção do prédio próprio para a Escola de Engenharia Industrial, no local onde atualmente está instalado o Campus Cidade.
A primeira célula mal havia fecundado e novas necessidades já impulsionavam o surgimento de outras unidades de ensino superior.

– O surgimento das outras faculdades

A Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas surgiu pela Lei Municipal nº 875, de 22 de julho de 1956, e foi autorizada a funcionar pelo Decreto nº 43.563, de 24 de abril de 1958.
Em 1959, ano do centenário de nascimento de Clóvis Beviláqua, foi iniciado um movimento visando à instalação de uma Escola de Direito em Rio Grande, a ser mantida financeiramente pela Mitra Diocesana de Pelotas. Contava com a colaboração de professores do município, da União Sul-Brasileira de Ensino e Biblioteca Rio-Grandense, aquela fornecendo as instalações para o funcionamento e esta colocando seu acervo à disposição da clientela.
Os esforços conjugados garantiram que, em 2 de fevereiro de 1960, pelo Decreto nº 47.738, fosse autorizado o funcionamento da instituição, que recebeu o nome de Faculdade de Direito “Clóvis Beviláqua”. Assim, em 1960 a primeira turma começava a cursar regularmente as aulas, até que, pelo Decreto nº 56.461, de 14 de junho de 1965, foi reconhecida a Faculdade de Direito “Clóvis Beviláqua”, da Universidade Católica de Pelotas, com funcionamento em Rio Grande.
À proporção que o tempo transcorria, novas expectativas surgiam, e com elas se ampliava a gama de possibilidades oferecidas aos jovens rio-grandinos. A existência de um vínculo cultural entre Rio Grande e Pelotas favoreceu que novos elos fossem estabelecidos. Dessa forma, ainda em 1960, tendo em vista o grande número de candidatos que aspiravam a outros cursos de nível superior, buscou-se a instalação da Faculdade Católica de Filosofia de Rio Grande, para cujo funcionamento haviam sido cedidas salas da Escola Normal Santa Joana d’Arc. Em 19 de janeiro de 1961, através do Decreto nº 49.963, foi concedida a autorização para o funcionamento dos cursos de Filosofia e Pedagogia.
Como um processo dinâmico, em que se acumulam resultados favoráveis, em 1964 era autorizado o funcionamento do Curso de Letras, com habilitação para inglês e francês; em 1966 entrava em funcionamento o curso de Matemática; em 1967 instalavam-se os cursos de Ciências e Estudos Sociais. Nesse mesmo ano, na sessão de 4 de outubro, o Conselho Federal de Educação reconhecia a Faculdade Católica de Filosofia de Rio Grande, ato oficializado pelo Pres. Arthur da Costa e Silva, através do Decreto nº 61.617, de 3 de novembro de 1967.
A 1º de agosto de 1967, diante da expansão dos cursos, por meio de convênio com o Estado do Rio Grande do Sul, foi promovido o deslocamento das instalações da Faculdade de Filosofia para o Instituto de Educação Juvenal Miller.
Assim comprova-se o fato de que em 1968 já existiam vários cursos superiores em Rio Grande.
Quando a filosofia educacional do país admitia, a título precário, o funcionamento de escolas isoladas no sistema de ensino superior, e a Reforma Universitária preconizava a aglutinação de unidades independentes, menores, em complexos estruturais maiores, organizados em função de objetivos comuns, foi assinado o Decreto-Lei nº 774, pelo então Presidente da República Arthur da Costa e Silva, autorizando o funcionamento da Universidade do Rio Grande – URG. Surgia, assim, a 20 de agosto de 1969, no cenário cultural brasileiro, esta Universidade que aqui se apresenta.

– Datas que fizeram sua história
1969 – É aprovado a 21 de outubro, através do Decreto nº 65.462, o Estatuto da Fundação Universidade do Rio Grande, como entidade mantenedora da FURG, sendo nomeado para Reitor o Prof. Adolpho Gundlach Pradel.
1970 – É criado o curso de Oceanologia, pioneiro no Brasil em nível de graduação, formando profissionais nas linhas biológicas e geológicas.
1971 – É reconhecida a faculdade de Medicina do Rio Grande, através do Decreto nº 68.306, em 2 de março, passando, em 29 de outubro do mesmo ano, a integrar o complexo universitário, conforme rezava o Decreto nº 774, que instituíra a Universidade. Nesse mesmo ano, a FURG recebe da Prefeitura Municipal, através do então prefeito, Coronel Cid Scarone Vieira, a área de 250 hectares para a implantação do novo campus universitário.
1972 – Assume a Reitoria da FURG o Prof. Eurípedes Falcão Vieira. É implantado o curso de Engenharia Civil, cuja criação foi aprovada pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão em 13/11/1971.
1973 – É modificada a estrutura da Universidade do Rio Grande, quando passam a existir cinco centros: Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Centro de Letras e Artes, Centro de Ciências do Mar e Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Esta estrutura obedecia aos preceitos da Lei nº 5540 da Reforma Universitária, tendo como consequências mais importantes, no tocante ao ensino de graduação, a adoção do sistema de matrícula por disciplina e o surgimento dos colegiados de coordenação didático-pedagógica dos cursos, que, na Universidade, receberam a denominação de Comissões de Curso.
1975 – É reconhecido o curso de Oceanologia, pelo Decreto nº 76.028, de 25 de julho, e o curso de Engenharia Civil, através do Decreto nº 76024, de idêntica data. Nesse mesmo ano, buscando desenvolver a pesquisa marinha, é implantado o Projeto Atlântico, cujo principal objetivo era o desenvolvimento da pesquisa tecnológica na região oceânica sul-brasileira. Na época, muito contribuiu para os estudos feitos a doação que a FURG recebeu da Fundação Cidade do Rio Grande: o Museu Oceanográfico.
1977 – Sob a gestão de seu terceiro reitor, Prof. Fernando Lopes Pedone, mais um importante passo é dado para a adoção integral das metas da reforma universitária brasileira. Desaparecem os Centros e surgem os Departamentos, ligados diretamente à Sub-Reitoria de Ensino e Pesquisa.
1978 – São inaugurados, no Campus Carreiros, os primeiros prédios da Base Oceanográfica Atlântica.
1979 – É implementado o curso de Engenharia de Alimentos, cuja criação foi aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão em 1978. É implementado o Curso de Mestrado em Oceanografia Biológica, primeiro curso de pós-graduação stricto sensu da FURG.
1981 – Começa a funcionar, no Campus Carreiros, o curso de Oceanologia, dando início ao processo de transferência dos cursos, que ora ainda se desenvolve.
1982 – A Universidade do Rio Grande é convidada a participar do projeto Antártico Brasileiro – PROANTAR, mediante convênio celebrado entre a FURG e a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar – CIRM –, considerando a política governamental brasileira de exploração do continente antártico e a localização geográfica e vocacional eminentemente marítima da Universidade.
1983 – É inaugurado um pavilhão que representa a primeira fase de construção da Estação de Apoio Antártico – ESANTAR – pelos Ministros da Marinha, Maximiano Eduardo da Silva Fonseca, e de Educação e Cultura, Hester de Figueiredo Ferraz, e pelo Reitor da FURG, Prof. Fernando Lopes Pedone.
1984 – Assume a Reitoria da FURG o Prof. Jomar Bessouat Laurino. É implantado o curso de Licenciatura Plena em Letras – Português/Inglês como extensão da FURG em Santa Vitória do Palmar, com duração de oito anos e prevendo a realização de três vestibulares.
1985 – Este ano marca a instalação do Gabinete do Vice-Reitor, tendo assumido o cargo o Prof. Orlando Macedo Fernandes. Também é realizada a transferência dos cursos de Letras, Educação Artística e Pedagogia para o Campus Carreiros e o curso de Engenharia de Alimentos é reconhecido pelo Conselho Federal de Educação.
1986 – Começa a funcionar o curso de Técnico em Processamento de Dados, vinculado ao Colégio Técnico Industrial, e o curso de Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação Artes Plásticas.
1987 – A FURG passa à condição de Fundação Pública, com seu funcionamento custeado precipuamente por recursos da União Federal. Marca este ano, também, a definição, pelo Conselho Universitário, da Filosofia e Política para a Universidade do Rio Grande. Mediante tal definição, a Universidade assume como vocação institucional o Ecossistema Costeiro, que orientará as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
1988 – No segundo semestre deste ano são transferidos os laboratórios de Histologia e Genética do Departamento de Ciências Morfo-Biológicas para o Campus Carreiros, juntamente com algumas disciplinas do curso de Medicina. Em 16 de dezembro é inaugurada a Rádio Universidade do Rio Grande FM Educativa.
1989 – Assume a Reitoria da FURG o seu quinto reitor, Prof. Orlando Macedo Fernandes. Começam a funcionar no Campus Carreiros os novos cursos de Geografia – Bacharelado e História – Bacharelado.
1990 – Passa a ter desempenho operacional a Estação Marinha de Aquacultura, no Balneário do Cassino, cujo projeto tem por objetivo principal a reprodução em cativeiro de camarão, peixe-rei e tainha. Neste ano também são concluídas as obras referentes à construção de salas de aula (Pavilhão 2 – Campus Carreiros) e dos departamentos de Física, Matemática e Letras e Artes, com os respectivos laboratórios de ensino e pesquisa.
1991 – Passam a funcionar no Campus Carreiros o Departamento de Matemática e parte do Departamento de Física, bem como os cursos de Matemática, Ciências/Licenciatura Plena em Biologia, Física e Química. Também neste ano, por meio de recursos próprios, é instalada a UTI Pediátrica e UTI Cirúrgica do Hospital Universitário, bem como o Ambulatório Geral (na periferia), em convênio com o Hospital Espírita Guaíba Rache.
1992 – É implementado o Curso de Doutorado em Oceanografia Biológica, primeiro curso de doutorado da FURG.
1993 – Assume a Reitoria o Prof. Carlos Rodolfo Brandão Hartmann. É aprovada no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão a criação dos cursos de Engenharia de Computação e de Letras – Português-Espanhol diurno e noturno para implantação em 1994. É concluído o CEFAM (Centro de Educação e Formação Ambiental Marinha) junto ao prédio do Museu Oceanográfico. No mesmo ano são ampliadas as instalações do Biotério e Canil do Campus Carreiros e reiniciadas as obras no HU, dando início à construção da área acadêmica.
1994 – É inaugurado o Centro de Atendimento Integral à Criança e ao Adolescente, o único a funcionar em campus universitário.
1995 – É inaugurada a área acadêmica do Hospital Universitário, melhorando significativamente as condições dos cursos de graduação de Medicina e Enfermagem.
1996 – São concluídas as obras dos Laboratórios de Física e CAIC II. São transferidas para o Campus Carreiros a totalidade do Departamento de Física e parte do Departamento de Materiais e Construção, bem como os cursos de Engenharia Civil e de Engenharia Mecânica.
1997 – Assume a Reitoria da FURG o Prof. Dr. Carlos Alberto Eiras Garcia. É reestruturada a administração superior, com a criação das Pró-Reitorias de Graduação (PROGRAD), Assuntos Comunitários e Estudantis (PROACE), Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP), de Administração (PROAD) e de Planejamento e Desenvolvimento (PROPLAN). Em 20 de agosto é inaugurada a TV FURG, operando o canal universitário na rede de TV a cabo.
1998 – São inaugurados junto ao Hospital Universitário a Farmácia de Manipulação, bem como o Hospital-Dia – para pacientes com AIDS. Iniciam-se, no Campus Carreiros, as obras de construção do Centro de Convivência. Entra no ar a TV FURG, utilizando um canal a cabo, transmitindo produções culturais, como: calendário do Vestibular, realização de eventos, entrevistas,, agenda cultural, entre outras atividades realizadas na própria Universidade.
1999 – São inaugurados junto ao Hospital Universitário: a Ala Azul, que reúne o Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos (CENPRE), o Centro Integrado de Diabete (CID), Hospital-Dia para pacientes crônicos, a UTI Neonatal e UTI Intermediária. É igualmente inaugurado o Ecomuseu da Ilha da Pólvora. Começam a ser oferecidos cursos seqüenciais. São criados dois novos cursos de graduação: Engenharia Civil Empresarial e Engenharia Mecânica Empresarial. O curso de Ciências Contábeis passa a ser oferecido também no turno da manhã. O número de vagas para o Vestibular 2000 é ampliado significativamente. É aprovado em reunião do Conselho Universitário o Plano Institucional 2000/2002. Conforme Portaria nº 783/99 – MEC, é aprovado o novo Estatuto da FURG, que passa a denominar-se Fundação Universidade Federal do Rio Grande.
2000 – São inaugurados o Centro de Convivência, junto ao Campus Carreiros, e a UTI Adultos, no Hospital Universitário. São implantados os cursos de Engenharia Civil Empresarial e de Engenharia Mecânica Empresarial, ambos noturnos. Começam a ser construídos no Campus Carreiros os prédios destinados à Reitoria e ao Departamento de Ciências Fisiológicas.
2001 – Assume a Reitoria da FURG, pela segunda vez, o Prof. Carlos Rodolfo Brandão Hartmann. Começa a ser construído, no Campus Carreiros, o Centro de Formação de Professores. É inaugurado em 6 de abril o Museu de Comunicação “Rodolfo Martensen”.
2002 – É inaugurado junto ao Campus Carreiros o prédio administrativo, que passa a abrigar as instalações da Reitoria, Procuradoria Jurídica, Pró-Reitoria de Graduação e Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.
2003 – O Conselho Universitário aprova em 10 de janeiro de 2003 a Resolução nº 002/2003, que dispõe sobre o Plano Institucional 2003/2006. É inaugurado junto ao Campus Carreiros o prédio que passa a abrigar as instalações do Departamento de Ciências Fisiológicas.
2004 – São aprovados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e começam a funcionar os Programas de Doutorado em Engenharia e Ciência de Alimentos e Oceanografia Física, Química e Geológica.
2005 – Assume a Reitoria o Prof. Dr. João Carlos Brahm Cousin. É concluído o novo prédio da área de Química e Alimentos no Campus Carreiros. São transferidos os cursos de graduação em Química – Licenciatura e os dois primeiros anos dos cursos de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos. São aprovados e começam a funcionar os Programas de Mestrado em Ciências da Saúde e em Biologia de Ambientes Aquáticos e Continentais. São aprovados os Programas de Doutorado em Educação Ambiental e em Ciências Fisiológicas – Fisiologia Animal Comparada. É criado um novo curso de graduação: Licenciatura em Educação Física. É criado o Pólo Sul da Amazônia Azul e são lançadas as Bases do Oceanário Brasil. É criada a Secretaria Executiva de Discussão e Revisão do Estatuto da FURG.
2006 – Começa a funcionar o Curso de Licenciatura em Educação Física e são realizadas obras de melhoria no Centro Esportivo. São encaminhados ao MEC cinco cursos para compor a Universidade Aberta do Brasil: Especialização em Educação Ambiental; Licenciatura em Pedagogia; Bacharelado em Administração – habilitação em empresas; Especialização em Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação e Especialização em Desenvolvimento de Aplicação para a WEB. A FURG é credenciada pela Petrobrás para atuar em quatro redes Temáticas Especializadas (tecnologia para mitigação de mudanças climáticas; monitoramento ambiental marinho; tecnologia de construção naval e rede de modelagem e observação oceanográfica). É aprovado pela CAPES a criação do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Modelagem Computacional. Começam a funcionar os Programas de Pós-Graduação Doutorados em Educação Ambiental e em Ciências Fisiológicas – Fisiologia Animal Comparada e Mestrado em Biologia de Ambientes Aquáticos e Continentais.
2007 – Começam a ser oferecidos os cursos de Mestrado em Geografia e Mestrado em Química Tecnológica e Ambiental. Começa a ser oferecido o curso de graduação em Psicologia. A universidade realiza no mês de junho o primeiro processo de seleção na modalidade de “ensino a distância”. São concluídas as obras de construção dos novos ambulatórios no HU. Começam a ser construídos no Campus Carreiros os prédios do CENTECO, do SIDEC-SUL e a ampliação do Pavilhão 4.